quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O Ovo

Como o tempo está frio esses dias pensei em fazer bolo para o pessoal do trabalho para eles comerem tomando café e esquentarem o corpo.
Precisei de 16 ovos ao total. Fui abrindo um por um colocando-os direto em um recipiente grande.
Nos dois últimos ovos, lembrei que o ideal é de se abrir o ovo em um vasilhame antes, conferir se este não está estragado e aí sim introduzi-los com os restantes para não comprometer o "grupo" todo.
O último ovo estava ESTRAGADO. Quase comprometo 15 ovos e 4 bolos rs.


Há uns anos atrás, os meus pais e eu mudamos de casa. Na casa nova, ainda sem os móveis, tínhamos somente um fogãozinho portátil a gás para as refeições. Nem geladeira tínhamos ainda.
O meu pai estava em casa sozinho e resolveu fazer lamion (miojo) coreano. Havia somente o último pacote de lamion.
Tradicionalmente adicionamos ovo no miojo. E havia um último ovo na cozinha.
Ele ligou o fogãozinho a gás, esquentou água, abriu o pacote e colocou o lamion. Em uma situação de roleta da sorte, ficou pensando se arriscava em colocar o ovo. Se este estivesse em bom estado, a sua refeição ficaria mais gostosa. Se estivesse estragado, perderia a janta do dia.
Como entender a relação do ser humano com a adrenalina?
Ele girou a roleta: o ovo estava estragado. Bye bye, janta.
Até hoje a minha mãe não entende por que o meu pai não conferiu o ovo antes.

Esses dias a amiga da minha mãe contou que fez tteokguk, uma sopa coreana de massa de arroz. Disse que quando a sopa estava quase pronta, como etapa final colocou ovos. Um dos ovos estava estragado.
Ela lavou a sopa.

As histórias do ovo....


Um comentário:

  1. como assim, ela lavou mesmo a sopa?! hahaha e a sopa ficou propria para o consumo?

    ResponderExcluir